24 de novembro de 2016

Black Friday | Ciber Monday e o desconto do Paitrocinio

Eu não sou fã destas loucuras, adoro pechinchas mas detesto andar a bofetada por causa de coisa nenhuma e muito menos no meio de uma loja. Quando vejo estes mitos de consumismo de massas tento refrear-me e perceber de facto nos benefícios, necessidade ou o jeito que gastar energia e tempo nesta febre me trará e chego sempre à mesma conclusão.... eu não estou nos Estados Unidos - Felizmente! 
As promoções aqui em Portugal, salvo raras excepções para as quais temos de fazer o trabalho de casa antes para não cairmos em engodos, são fracas, enganosas (aumentam preços nos dias anteriores) e nada apelativas. Uma coisa é uma compra de necessidade: Ah e tal eu queria comprar um computador agora e isto deu-me um jeitão! - ok verdade! Mas não acredito quando me dizem: Ah e tal comprei um saco cheio e não gastei "quase" nada. Aí eu respondo - Define "quase"...
O Observador publicou uma lista bem ao jeito editorial apelativo que o caracteriza que nos ajuda a perceber este panorama. O Idealista e o Ekonomista também publicaram guias.
Se vale a pena? Sim, vale se tivermos coisas específicas em mente e percebermos que podemos usufruir do desconto. Não, não vale se formos atacar as lojas qual cão de fila em busca de sangue. Pode até ser um programa que interesse a alguns que gostem dessa adrenalina, não é a minha cena.
O melhor desconto do mundo continua a ser o Paitrocinio e a seguir as compras de ocasião fora de época. Para verdadeiramente aproveitar estas coisas é preciso ter bem definido o que se quer e o que de facto se precisa e equilibrar a oportunidade com a ocasião. Não cair no facilitismo de é "só" mais "isto" e apostar sempre na qualidade.
Daquilo que vi e soube poucas coisas me entusiasmaram mas ainda assim pretendo aproveitar principalmente online para duas ou três prendas e para roupa e interiores básicos.


16 de novembro de 2016

Prendas de Natal Criativas

Este ano o Natal vai ser um exercício de imaginação. Vai ser o primeiro Natal depois da separação e não só o desafio financeiro é maior como ainda estamos em fase de testes.
Os amigos continuam os mesmos e as crianças aumentaram este ano, são cada vez mais... dar presentes a cerca de 40 crianças é praticamente impossível. Não gosto de oferecer coisas sem sentido nenhum só para dizer que ofereci alguma coisa por isso este ano vamos ter de ser criativos.

Nos anos anteriores para poupar eu tenho recorrido a alguns métodos a que este ano também irei recorrer como é o caso dos seguintes:
- Cartões de pontos
- Cartões presente
- Reembolso de prendas repetidas e devoluções
- Talões de trocas
- Talões de promoção extra

Tudo bem pensadinho costuma dar origem a cerca de 10 a 15 presentes úteis, originais e altamente low cost. É tudo uma questão de pensar no assunto com antecedência e de facto estabelecer prioridades e limites de budget e prazos.

As lojas que se prestam a presentes bem giros e baratinhos e que costumo visitar e geralmente encontro coisas adequadas são:
- Primark
- Tiger
- Ikea
- Mango Outlet
- Odisseias Online
- Fnac Online
- Continente (com cartão de pontos) e Jumbo 
- Mercados de Rua
- Comércio tradicional especialmente no que respeita a acessórios

Para quem não entregamos presentes costumamos enviar postais. A velhinha tradição de enviar postais para mim é uma delícia que adoro receber coisas no correio que não sejam contas nem publicidade. Idéias não nos falta, o que falta mesmo é meter as mãos na massa porque daqui até à data muito há a fazer e vai passar a correr.

7 de novembro de 2016

Pequenas grandes ajudas

Eu sempre fui avessa àquele mito de que as mulheres fazem tudo porque sim. Nunca quis um homem que fosse um parasita em casa e felizmente sempre tive sorte nisso e como tal também defendo que as crianças devem ajudar à escala do seu tamanho. Distribuir tarefas domésticas por todos também é poupar. Poupa-se tempo, desgaste e dinheiro. Sim, dinheiro. Se todos ajudarem provavelmente não há necessidade de pensar em por uma empregada. Se todos ajudarem não só todos teremos mais tempo de qualidade como vão haver menos discussões e atritos de vida em comunidade. Claro que eu não sou a única a pensar assim e como tal deixo-vos a tabela que me deram a mim, pensada pela escola Montessori para por os mais pequenos a mexer de forma útil.

31 de outubro de 2016

O investimento compensou

Comprámos este fato de halloween no chinês no ano que ela fez 1 ano e mal sabia andar. Mal sabíamos nós que rendia até aos 5 anos (ou mais). Mudamos os acessórios, ela cresce e o fato fica mais curto mas sempre foi o mesmo. A verdade é que até ao ano passado ela nem se lembrava que o tinha usado no ano anterior e além de o deixarmos o ano inteiro à mão dela para brincar e explorar o imaginário incentivamos que o use acrescentando um acessório novo cada ano que depois servirá também para ela brincar. Este ano foi o ano que nos esticámos mais com a varinha e asas de morcego H&M 9,90€. Mas geralmente a festa fica abaixo dos 5€ e ela adora! Com a maquilhagem e cabelo e um bocadinho de magia à volta do dia fazemos a festa. 

25 de outubro de 2016

Fenómeno Primark

Fazer compras na Primark é uma aventura!

Experimentem dar uma volta na loja, os preços são do mais apelativo que há, já a qualidade... deixa muito a desejar, vão recolhendo o que vos agrada, rapidamente percebem que os braços não chegam e vão buscar um saco e quando pegam nele, percebem que aquilo é coisa para carrinho e lá vão em busca de um trolley (mas encontra-los não é fácil) e lá vão a caminho dos provadores. 
Aí começa o filme!
Só podem levar 8 peças de cada vez. 
Quando entram nos provadores cheias de tudo o que foram apanhando pelo caminho
Se levar um homem comigo, este tem de ficar no fundo do corredor de 2km. O caso piora se quiserem que ele veja e opine acerca da escolha, ou vocês fazem a passerelle até chegar ao pé dele ou o desgraçado leva uns binóculos pois o corredor é preto e loooongo.
Se forem com uma amiga têm mais sorte pois ela pode ir trazendo as peças que já não querem e substituindo por outras sem que tenham de se vestir e fazer novamente o circuito de sair do provador e voltar a entrar... como eu tive de fazer porque fui sem companhia nenhuma.
Foi mesmo muito mau, eu já suava e a paciência estava nos níveis mínimos e o calor ali dentro estava nos níveis máximos! Toda esta experiência aumenta de intensidade em hora de ponta e no inverno.

Se mesmo assim vale a pena voltar? Sim vale. A verdade é que há determinados artigos que para mim não são relevantes em termos de qualidade pois cá fora são o triplo do preço e igualmente maus. Acessórios e artigos mais funcionais, pijamas e interiores básicos ou uma ou outra peça "da moda" para usar e não para durar são boas desculpas para ir a esta loja, poupar dinheiro e sair bem servido.

Eu continuarei a ir, não só porque o orçamento assim o pede como porque adoro pechinchas e ali saio sempre bem servida a esse nível.


Nota manhosa:
Eu não sabia mas a própria marca incentiva as clientes a vestir e a publicar o que , mas há toda uma trupe de malta na net a fazer vídeos de coisas compradas na Primark.
Deixo alguns mas é só fazer uma pesquisa breve e aparecem imensos, pesquisem por "Primark haul".





24 de outubro de 2016

O casamento do meu melhor amigo*

A vida dá voltas do caraças...
... e a única pessoa que me levaria a um casamento inesperado nesta altura da minha vida (e do mês) só podia ser este gajo. Hoje sou um bocadinho mais feliz por ele. Mesmo.
E como é que se vai a um casamento em modo lowcost?
Bem ideias há muitas e algumas mais "católicas" que outras... e eu não sou assídua da missa de domingo, aviso já.

Roupa
Caso haja no armário usamos o que temos, dificilmente aquelas pessoas já tiveram connosco em outro casamento e mesmo que tenham estado os acessórios fazem toda a diferença para mudar totalmente o aspecto de qualquer vestido.
Há a hipótese de pedir emprestado um vestido a uma amiga com o mesmo corpo que nós e já agora os acessórios para usar com ele.
E ainda a hipótese de comprar um e devolver depois do evento... (eu avisei) sim, já o fiz. Não foi o caso mas confesso que sim já fiz isso e não me senti minimamente culpada.
Eu usei outra táctica desta vez.
Comprei algo que seja possível usar regularmente em outro contexto e que me desse jeito. Comprei um macacão preto que faz muito bem a transição de roupa profissional para roupa de noite ou de evento como foi o caso. Sim gastamos o dinheiro mas é um investimento.
O meu foi na Zara que está com uma oferta espectacular e super acessível | 39€



Acessórios
Desta vez eu já tinha muita coisa que tinha servido outros modelitos e podia inclusive escolher mas este macacão pede um cinto. Não só porque eu estou em excesso de peso e sou baixinha como porque para lhe dar um ar de cerimonia fazia toda a diferença.
Normalmente aqui aplico muitas vezes a regra do pedir às amigas e em ultimo caso a regra do compra, usa e devolve. Desta vez comprei três e o que usei vou ficar com ele os restantes dois vou devolver e não os usei. O cinto também foi pensado para ser usado depois com outras coisas e por isso é que compensa ficar com ele. É elástico o que permite que o use agora ou se emagrecer (nem quero pensar se engordar - atiro-me ao rio) e os dourados que tem são discretos e combinam com outras coisas que eu já tinha - mala e sapatos.
Parfois | 10€



Sapatos e malas já tinha, pude inclusive escolher. Acessórios de cabelo acabei por não precisar porque um simples elástico dissimulado fez muito bem a festa uma vez que os brincos eram tão vistosos que não suportavam mais nada à sua volta. Pulsei e anéis também já os tinha.

Levei a dourada

Estética
Aqui é onde me custa mais gastar dinheiro porque não dura nada... Vai daí costumo fazer tudo em casa sozinha e até me safo mas desta vez alem de ser O casamento e não apenas UM casamento e não ter tempo nenhum para fazer eu as belezuras resolvi investir na coisa. Já estava para cortar o cabelo à séculos então programei a coisa para esta data. Cortei** e arranjei tudo da mesma vez e fui a um cabeleireiro low cost onde costumo ir só para manutenção e foi Top por apenas 11€, unhas fiz eu em casa e o facto de ser um macacão não houve necessidade de depilações. As pinturas fui fazer à Sephora de onde guardei um cartão de maquilhagem flash para qualquer eventualidade e ficou Top também sem pagar um tostão, marquei para duas horas antes da cerimónia já fui vestida, foi só sentar, fazer e seguir viagem (literalmente).
















Prenda
eu ofereço serviços de design. É sempre útil nestas coisas para antes ou depois e facilmente se traduz em dinheiro que iriam gastar na festa. Há ainda a possibilidade de juntar uns amigos e oferecer uma prenda ou uma experiência mas confesso que se fosse eu não queria isso. Preferia que me oferecessem dinheiro ou um serviço onde eu vou ter de gastar dinheiro na preparação da festa.

Ainda não tenho fotos do conjunto final porque isto de ir sozinha tem destas coisas... só tirei selfies mas quando tiver coloco-as aqui.


* Amigo, ex muitas coisas, fogetão para a lua, aquele a quem eu nunca menti, escondi ou omiti nada e com quem sempre pude contar.

** acerca de cortar falamos num próximo post.


21 de outubro de 2016

5 Anos e agora a escola é outra

As miúdas chegaram à pré... Ambas estão na fase de escrever o nome e outras letras ao contrário "efeito espelho" e sentir que estão todas crescidas porque já fazem "trabalhos da escola".

Este ano a vidinha deu uma grande volta e além de uma separação houve outros contratempos que desafiaram o budget. Nada que assuste aqui a "malta" habituada a estas coisas (mentira!!!) mas há dias que os desafios são maiores o que faz com que tenhamos de aprender ainda mais como contornar tudo isto e tornar possível uma vida normal com um pouco menos por mês e um pouco mais de planeamento para fazer face à incógnita que é o amanhã.

A Lara (ainda) anda no privado, colégio que sempre conheceu desde que nasceu. Um esforço que ambos quisemos (e pudemos) fazer na altura de decidir e que hoje questionamos se devemos continuar pelo menos até à 4ª classe. 

A mim interessa-me muito mais o bem estar emocional e o desenvolvimento cognitivo dela enquanto ser individual e livre do que rankings e notas. Estou-me borrifando para as notas. Prefiro mil vezes que ela saiba desenvolver um pensamento acerca de um assunto ou resolver uma problemática num trabalho de grupo. Eu acredito nos "freerange kids" como demonstro várias vezes no outro blog.

Andamos portanto na busca para perceber como funciona isto da escola pública, as inscrições, as regras e as manhas. Rebater tudo com o que pudemos pagar versus o que a escola pode oferecer. Voltar a rebater tudo com os nossos valores e aquilo que sabemos ser a personalidade dela. No fundo para perceber se vale mesmo a pena mudar. 
Tendo em conta que o "prolongamento" é até às 17h30 (gostava eu de saber quem teve a presunção de chamar a isto "prolongamento") tenho de lhe arranjar um ATL com carrinha que a vá buscar. 
Ora para isso fica onde está, resta saber se em regime total ou parcial.

O que me preocupa em deixa-la a estudar no privado é o impacto interpessoal que isso vai ter quando ela passar da 4ª classe para o 5º ano. Neste momento a escola tem turmas mistas de muito poucas crianças (penso que 12, aguardo confirmação) e como sabemos o público é só o triplo disto. quando ela for atirada para a selva das turmas com 30 miúdos em idade de adolescência sem nunca ter visto um pátio de escola grande sem educadoras... terá de aprender a sobreviver no meio que todos os outros já dominam à 4 anos. Isto faz-me pensar se não prefiro que comece já esse processo.
Por outro lado se a diferença de preço for mínima e a oferta formativa incomparável prefiro fazer o sacrifício e mantê-la no privado e reforçar esse apoio emocional e social aquando da mudança para o 5º ano. Não sei, ainda não tenho as informações todas para tomar a decisão assim que tiver, voltamos a falar por aqui. 

11 de outubro de 2016

Ideias fantásticas para renovar espaços difíceis

Há pessoal muito cromo mesmo!
A sério ,vale a pena ver e retirar a ideia perfeita para cada um.











9 de maio de 2016

12 de fevereiro de 2016

Quando é que deixaste de beijar o espelho?


Boa exposição acerca da imagem e da auto estima nas escolas, nas crianças e adolescentes que se tornam adultos inseguros. Com uma filha de 4 anos que já trás para casa criticas de colegas, dei por mim a ver filmes e a ler informação acerca de como lhe transmitir a confiança necessária para que ela encontre os seus próprios processos para ultrapassar tudo o que ainda possa vir. Porque eu não vou estar sempre lá, e eu só posso ajudar até um certo ponto. 




Agenda da natureza

22 de janeiro de 2016

Homens constipados

Poema aos homens constipados  

Pachos na testa, terço na mão,
Uma botija, chá de limão,
Zaragatoas, vinho com mel,
Três aspirinas, creme na pele
Grito de medo, chamo a mulher.
Ai Lurdes que vou morrer.
Mede-me a febre, olha-me a goela,
Cala os miúdos, fecha a janela,
Não quero canja, nem a salada,
Ai Lurdes, Lurdes, não vales nada.
Se tu sonhasses como me sinto,
Já vejo a morte nunca te minto,
Já vejo o inferno, chamas, diabos,
Anjos estranhos, cornos e rabos,
Vejo demónios nas suas danças
Tigres sem listras, bodes sem tranças
Choros de coruja, risos de grilo
Ai Lurdes, Lurdes fica comigo
Não é o pingo de uma torneira,
Põe-me a Santinha à cabeceira,
Compõe-me a colcha,
Fala ao prior,
Pousa o Jesus no cobertor.
Chama o Doutor, passa a chamada,
Ai Lurdes, Lurdes nem dás por nada.
Faz-me tisana e pão-de-ló,
Não te levantes que fico só,
Aqui sozinho a apodrecer,
Ai Lurdes, Lurdes que vou morrer.

António Lobo Antunes - (Sátira aos HOMENS quando estão com gripe)
LINK

14 de março de 2015

Planetário grátis no 1º Domingo do mês






Mais varandas menos marquises

Adoro o slogan :) Odeio marquises embora reconheça o jeito que dão visto por quem as vive. Será que um dia serão moda? Não sei mas duvido para já fiquei entusiasmada com o novo desafio Ikea, ou não fosse eu fã número 01 do jeito nórdico para a decoração. Ora espreitem!
Eu já estou a trabalhar nisso e nem é pelo prémio é mesmo pelo gozo.